URAL Caminhões Russos no Brasil

História e Desenvolvimento.

A origem da Ural tem início no outono e 1941, com a ordem de se transferir todo o parque fabril soviético para as áreas mais afastadas ficando assim fora do alcance dos bombardeiros alemães, desta maneira a primeira planta industrial da ZIS foi estabelecida na cidade de Oblast de Chelyabinsk, nos Urais .Durante os primeiros anos de ativação a fábrica focou a produção de motores e caixas de engrenagens, tendo em vista que neste estágio a demanda principal por caminhões de transporte estava sendo suprida pelos fornecimentos nos termos do acordo Leand & Lease Act.
Em 8 de julho de 1944 saia das linhas de produção o primeiro caminhão ZIS-5 V 6X6, levando a marca UralZIS, a aceitação do modelo junto aos militares soviéticos nos períodos finais do conflito foi positiva e o modelo se manteve em uso por décadas seguidas. A partir de 1946 um novo modelo de 2,5 ton seria lançado o UralZIS-352, nesta mesma década variantes aperfeiçoadas foram lançadas.

A partir da década de 1960 a Ural expandia rapidamente sua produção com os novos modelos Ural-375, 375H e 377H, que contavam com um novo e eficiente motor a diesel V8 diesel KamAZ, encomendas destinadas ao exército vermelho e aos demais países do Pacto de Varsóvia levaria a Ural a celebrar 530 mil caminhões e 1,3 milhão de motores produzidos, com sua produção se mantendo até o ano e 1983.

No ano e 1977 surgiria um novo caminhão de 5 toneladas o Ural-4320 com motorização a gasolina que que viria a substituir a família Ural-375-740, em 1981 efetuava se o lançamento do Ural-5920 com motor a diesel Caterpillar, sendo posteriormente substituído pelo novo motor a diesel KAMAZ-740 V8 volume de capacidade de 10,85 litros de 210cv. Diversas versões com base nesta plataforma foram lançadas entre elas a 6X6, 4X4 com as aplicações de carro comando, transporte de tropas, basculante, oficina, comunicações, reboque entre outros. Rapidamente o modelo tornou-se o caminhão fora de estrada padrão das forças militares integrantes do pacto de Varsóvia, sendo amplamente exportado para países na África e na Ásia e América do Sul.
Em 1987, a UralAZ celebrou seu milionésimo caminhão. A reorganização da indústria governamental e as reformas econômicas obrigaram a UralAZ a tornar-se uma sociedade de responsabilidade limitada lhe permitindo também ingressar no mercado civil com novos modelos como o 43204 e 55571,  a abertura econômica proporcionada pela dissolução da União Soviética possibilitou a Ural o estabelecimento de parcerias mais solidas como a firmada com a IVECO no ano de 1992, tendo como fruto da parceria o modelo Iveco UralAZ 330-30ANW (6x6), ampliando ainda mais sua participação internacional.

Emprego no Brasil.

A história do emprego de caminhões russos (Ural 375/4320 4X4 e 6X6) no Brasil tem origem em um processo de apreensão realizado entre os anos de 1999 e 2001 pela Receita Federal, sendo fruto de uma importação irregular por uma empresa particular, sendo posteriormente repassados ao Exército Brasileiro e Aeronáutica, estima-se que pelo 12 unidades foram disponibilizadas , sendo três na versão basculante com caçamba que foram destinadas ao 22° Batalhão Logístico de Barueri, SP, sendo foram leiloados como material inservível para a força terrestre no ano de 2004.

Os remanescentes destes foram concentrados na cidade de Pirassununga no estado de São Paulo, sendo distribuídos entre o Fazenda da Aeronáutica e no 13° Regimento de Cavalaria Mecanizada. Pelo levantamento efetuado foi possível saber que pelo menos dois eram da versão 6x6 transporte de tropas e dois basculantes (na nomenclatura da fábrica este modelo é o URAL 4320-31) e os demais 4x4 transporte de tropas, com pelo menos dois tipos de pneus (nomenclatura da fábrica URAL 43206). As versões apreendidas já possuem motor diesel YaMZ-238M2 em V de oito e seis cilindros respectivamente, 

Seu emprego trouxe impressões positivas junto aos oficiais 13°RecMec devido a sua rusticidade, tamanho e desempenho em terrenos acidentados, sendo todos mecânicos e com algumas facilidades para a tropa que o opera no dia a dia, superando em muito as versões militarizadas em uso atualmente, fornecidas por empresas brasileiras, o que vale uma comparação.
Como características, possuem grande capacidade de carga e de operação em terrenos de difícil locomoção, com faixas de temperatura de -50 até + 50º Celsius. Essas características somadas aos preços competitivos, explicam o fato de que cada vez mais o militar latino-americano tem dado atenção aos veículos russos, visto que só o Uruguai opera 400 deles, além do México que em 2003 adquiriu 50, é possível ver ainda versões mais antigas operando no Peru e em outros países da região.

Três foram repassados à Força Aérea que os está utilizando em sua Fazenda na cidade de Pirassununga, SP, onde existe dois na versão 4x4 e um na 6x6, sendo que este sofreu algumas alterações efetuadas por um mecânico naquela cidade que após retirar sua carroceria de metal para transporte de tropas, acrescentou ao mesmo um dispositivo que o permite tracionar uma carreta graneleira na ordem de 40 toneladas, tendo inclusive já rebocado até 60 toneladas de soja e milho, todo pintado no azul padrão dos veículos da FAB. Da versão 4x4, um foi transformado em transporte de suínos e bovinos para o abate, recebendo uma grande gaiola sobre a carroceria, com uma porta traseira por onde entram e saem os animais e foi mantido na cor verde claro original, estando o outro na forma original recebida, pintura areia claro.

Os destinados ao Exército receberam a tradicional pintura camuflada em dois tons, verde e marrom, e pelo menos um ostenta o emblema do EB na porta com a designação da unidade, apesar dos pontos positivos, deficiências na cadeia de suprimentos de peças de reposição levaram o Exército a optar pela canibalização para se manter algumas unidades operacionais, tendo em vista que seus componentes mecânicos básicos não são compatíveis com nada que existe no mercado, desta maneira o modelo já foi baixado, permanecendo em serviço apenas na Força Aérea.

Vale citar que A Polícia do Estado do Maranhão operou pelo menos quatro caminhões russos modelo URAL 4320 (375 nas publicações ocidentais) 6×6, apreendidos no início dos anos 90, pela Receita Federal como importação ilegal no porto de Itaqui. Pelo levantamento efetuado foi possível saber que todos eram da versão 6×6, ano 1989, versão posto de comando, possuindo um grande baú com uma mesa central com várias gavetas e nos laterais assentos. O curioso é que eles vieram com reboques de estação de tratamento de água e alguns com um gerador diesel, responsável pelo fornecimento de energia elétrica.
Estes veículos chegaram ao país na cor verde claro e ficaram abandonados por muitos anos, sendo que quatro deles receberam a pintura padrão preto e amarelo e emblemas da Polícia Militar do Maranhão e parece que ficaram operacionais por um breve período. Posteriormente foram encostados com os demais em um depósito, junto com seus reboques e lá ficaram deteriorando, até que através de um leilão autorizado pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão – SEPLAN, pela Comissão Central de Licitação – CCL, foi então autorizado ao Leiloeiro Público Oficial do Estado em edital publicado em 19 de maio de 2005 a venda destes caminhões e reboques, bem como outros veículos e equipamentos, conforme consta do edital 001/2005-CCL

Em Escala :

Para representarmos o Ural 4320 6X6 “EB-34 34234451”, fizemos uso do excelente kit da Trupeter na escala 1/35 que nos brinda com muito detalhamentos em photo etched, para se representar a versão empregada no 13° Regimento de Cavalaria Mecanizada, deve se proceder como alteração apenas o sistema de respiro do filtro de ar , configurando esta peça básica  em scratch. Empregamos decais confeccionados Eletric Products pertencentes ao set  "Exército Brasileiro  1983/2003".
O esquema de cores (FS) descrito abaixo representa o padrão de pintura tático aplicado em todos os veículos do Exército Brasileiro a partir de meados da década de 1980, mantendo o mesmo até sua retirada do serviço ativo. Os três veículos em uso pela Força Aérea Brasileira foram pintados no azul tradicional de veículos desta força e na cor areia.




Bibliografia :

- Ural Automotive Plant ,Wikipedia -  https://en.wikipedia.org/wiki/Ural_Automotive_Plant
- Caminhões Russos no EB e FAB - Expedito Carlos Stephani Bastos
- Ural 4320, Wikipedia.wikipedia.org/wiki/%D0%A3%D1%80%D0%B0%D0%BB-4320